Quantas vezes já ouviu a frase “o pior é manter”? É ouvida com frequência quando se conta a alguém que se iniciou uma mudança na alimentação e na saúde. Eis a questão que se coloca: o mais difícil é o ato inicial de mudar o comportamento ou é manter depois essa mudança?

O ato de mudar poderá exigir algum esforço, mas qualquer pessoa o consegue fazer. Especialmente ao início, quando toma a decisão, pois, na maioria dos casos, está no seu pico motivacional. Mas e manter a mudança e o comportamento? Também poderá ser fácil se levar em conta 2 pontos: rotina e vantagens.

Aqui ficam algumas dicas para o ajudar a comprometer-se com a mudança:

  • Planeie a mudança e mantenha-se fiel ao plano.  O ser humano habitua-se facilmente a diferentes comportamentos, se tiver consciência deles e os repetir várias vezes, até se tornar hábito. Quando se torna hábito, já não tem de pensar no comportamento, fá-lo com naturalidade, de forma rotineira.
  • Convença os outros membros da família a juntarem-se ao compromisso.
  • Faça a mudança progressivamente e crie hábitos conjuntos. Se todos iniciarem uma refeição com sopa, esta já será parte natural da sua refeição e se falha, alguém notará e mais facilmente irá incitar a voltar ao que já lhes é natural/normal.
  • Quando sentir que poderá vacilar, pense no que lhe trouxe de bom a mudança que fez. Quais foram as vantagens da alteração do comportamento? O que ganhou (saúde, resistência, redução da medicação)? Como se sente e como se sentia antes de iniciar a mudança? Ter em mente os benefícios da mudança que realizou, irá ajudá-lo a manter o comportamento.

O pior é manter? Nada disso. Manter é algo natural, quando todo o processo é feito de forma saudável, ponderada e em família!

Catarina Monteiro, Coach da Your Challenge, Formadora e Nutricionista do Nutrihome.

Membro da Ordem dos Nutricionistas nº0759N.

4 dicas para o ajudar a manter uma alimentação saudável