A preocupação em seguir uma alimentação saudável já é mais comum nas famílias portuguesas. No entanto, podem existir vontades contraditórias na hora da aplicação das alterações alimentares, seja por parte de adultos ou de crianças. A discordância pode ser mais frequente em famílias cujo padrão alimentar não é o ideal e alguns elementos não compreendem a necessidade da mudança.

Para evitar e conseguir gerir essas situações, deixamos alguns conselhos:

  • Tente tomar a decisão da mudança em conjunto ou pelo menos em acordo com os restantes adultos da família. Na hora de debater a situação, é importante serem uma frente unida e não dispersar opiniões e decisões. Ainda, explique o motivo pelo qual está a querer mudar, porque é que é importante para si e para a família e que mais-valias terão;
  • Escolha as “batalhas”. Não queira mudar tudo de uma vez só. Pense quais as mudanças que irão ser mais impactantes na saúde da família, mas que exijam menos esforço da vossa parte;
  • Prepare as refeições em conjunto com a pessoa que está reticente à mudança e peça opinião sobre alguns pontos em que haja escolha (que tipo de sopa fazer ou que vegetais quer comer, por exemplo);
  • Negoceie: por onde começar e quais os pontos a mudar/abdicar, por exemplo. Como cedência da sua parte, pode oferecer a escolha do que irá compor a “refeição do abuso” à pessoa com quem está a negociar. Idealmente, não estabeleça sistema de recompensa, especialmente alimentar (a refeição ou “dia do abuso”, na maioria dos casos existe sempre, logo não é considerada recompensa, mas parte de uma alimentação variada e saudável).

Acima de tudo, não desista. A batalha de hoje, será o hábito e rotina de amanhã!

Maria Catarina Monteiro, Coach da Your Challenge, Formadora e Nutricionista. 

Membro da Ordem dos Nutricionistas nº0759N.

Como alimentar uma alimentação saudável