Proporcionar uma alimentação saudável é, com frequência, uma meta e preocupação de quem cuida de uma criança. Mas nem sempre é fácil seguir esse caminho.

Para ajudar, tenha em mente estes 3 E’s:

  • Expectativa: Muitas vezes, a oferta de alimentos saudáveis é feita a medo. Vegetais, sopa, peixe… “de certeza que a criança não vai gostar”! Esta expectativa é facilmente transposta e visível, o que leva a criança a achar que não gosta quando ainda nem provou! Ofereça as refeições e alimentos saudáveis com expectativa positiva;
  • Exemplo: é importante que a alimentação saudável seja feita em família. Todos comem sopa, todos evitam doces. Especialmente os pais, não devem ter regras diferentes das dos filhos ou considerar que é a criança que deve resistir aos alimentos que lhe são prejudiciais. As crianças comem o que é comprado e têm um fraco mecanismo de resistência. Facilite o trabalho a si e à criança e, habitualmente, não tenha alimentos pouco saudáveis em casa;
  • Explicação: não queira convencer a criança de que deve comer bem para a sua saúde ou mesmo porque tem peso a mais. Tirando raras exceções, só após a adolescência é que ela compreende uma preocupação a médio e longo prazo. Assim, ou foca naquilo que é atualmente importante para ela (por exemplo, conseguir correr/brincar melhor) ou simplesmente não explique ou queira convencer. A criança também terá de compreender que tem de comer o que lhe é apresentado e que os pais sabem o que fazem e que o fazem pelo seu bem.

Maria Catarina Monteiro, Coach da Your Challenge, Formadora e Nutricionista.
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº0759N.

Os 3 E’s da Motivação na alimentação de uma criança