De acordo com alguns autores, a agricultura biológica tem sido praticada desde a década de 20 (século XX) como uma resposta inicial ao processo de industrialização da agricultura, em que se utilizavam métodos intensivos para aumentar a produção.

A produção de produtos biológicos é hoje realizada em quase todos os países do mundo, devido ao crescimento significativo do seu consumo. Alguns autores atribuem este aumento à exigência, por parte dos consumidores, de maior disponibilidade de produtos biológicos, pela preferência do consumo de produtos não geneticamente modificados.
De acordo com a Federação Internacional de Movimentos de Agricultura Orgânica, a agricultura biológica é um sistema que aponta para a qualidade e saúde do solo, da população e dos ecossistemas, usando pesticidas naturais. Os produtores devem respeitar todas as etapas de produção: desde a preparação do solo até ao embalamento dos alimentos, preservando sempre o meio ambiente. Assim, quando encontrar o símbolo biológico nos alimentos, terá a indicação de que estes foram produzidos em conformidade com as normas de produção biológica e que foram certificados por uma entidade devidamente autorizada.

O consumo de produtos biológicos associa-se também ao seu significado moral e impacto ambiental, no seguimento de uma crescente preocupação com o meio ambiente, desligando-se nesta medida daquilo que é o seu efeito fisiológico. No entanto, os estudos comparativos, como ensaios ou observações humanas, são ainda estudos de trabalho em progresso, não permitindo ainda chegar a conclusões explícitas quanto aos benefícios reais para a saúde no seguimento do consumo destes produtos em detrimento dos produtos provenientes da agricultura tradicional.

Alguns dos estudos realizados em hortícolas são controversos: por exemplo, em comparação com produtos semelhantes com origem na agricultura convencional, o teor registado de vitamina C foi superior em pêssego e tomate biológicos, mas inferior em brócolos biológicos. De qualquer forma, é de salientar que os diferentes modos de cultivo, condições de crescimento e estações do ano, bem como armazenamento, transporte e preparação, podem alterar o teor nutricional dos alimentos.

Em Portugal, a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) refere que o consumo de produtos biológicos tem vindo a aumentar ao longo dos anos. Um estudo realizado em 2017, revela que 47,7% dos portugueses considera a compra de produtos biológicos, com maior interesse em “animais criados ao ar livre” e fruta e vegetais.
Assim, ao escolher produtos biológicos, estará a contribuir para um sistema agrícola mais amigo do ambiente.
Devemos diariamente realizar uma alimentação variada e equilibrada, ingerindo na dose recomendada todos os alimentos presentes na roda dos alimentos, e combinando a dieta com a prática de atividade física e uma boa noite de sono.

Saiba mais sobre os alimentos biológicos aqui.

 

Joana Costa,
Nutricionista do Jumbo, Membro da Ordem dos Nutricionistas n.º2074N

Agricultura Biológica, Saúde e Sustentabilidade