De aroma forte e muito característico, a canela é realmente um alimento único. Apesar de em Portugal ser utilizada maioritariamente em receitas doces, também pode ser utilizada em pratos salgados, dando uma nota diferente a um caril, uma lasanha ou até um guisado.

As referências à utilização da canela têm já vários séculos: a especiaria foi apresentada aos europeus pelo povo árabe e rapidamente fez sucesso. Com o passar do tempo, os povos europeus sentiram a necessidade de procurar a sua origem e os portugueses acabaram por descobri-la no Sri Lanka.

A canela do tipo Cassia é a mais comum e podemos encontrá-la na forma de pó ou como pau de canela, o qual tem um aroma mais intenso. A utilização de um ou outro varia mediante a receita e o intuito.

Relativamente às propriedades da canela, visto que é uma especiaria e utilizada em quantidades muito pequenas, pode considerar-se que é bastante pobre em energia ou macronutrientes (proteína, gordura ou hidratos de carbono). No entanto, podemos destacar alguns micronutrientes, tais como o cálcio, o potássio e a vitamina K. Uma dose de 100g de canela contém valores significativos destes minerais, mas a utilização habitual é de quantidades bastante inferiores.

A canela tem vindo a ser bastante estudada, em especial no que respeita à sua ação em patologias como a diabetes, espasmos musculares, doenças cardiovasculares e alguns tipos de infeções.

No caso da diabetes, alguns estudos indicam que a especiaria ajuda na diminuição do valor da glicémia, seja pela redução da absorção de glucose, seja pela estimulação da libertação e sensibilidade da insulina. Outras evidências apontam para a possibilidade de que o consumo de canela poderá diminuir a pressão arterial e o colesterol LDL e ao mesmo tempo aumentar o colesterol HDL (considerado o “bom colesterol”). As ações antimicrobiana e antioxidante da canela também estão a ser investigadas, com resultados promissores. No entanto, são necessários mais estudos que sustentem os já existentes sobre a influência da especiaria no nosso organismo, especialmente porque quase todos foram realizados apenas em animais, ficando em dúvida se os mesmos resultados se verificarão em humanos.

Estando as propriedades da canela ainda por confirmar, uma coisa é certa e não mudará: a popularidade e influência do seu aroma na alimentação portuguesa é incontestada.

Catarina Monteiro, Coach da Your Challenge. Formadora e Nutricionista do Nutrihome.
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº0759N.

Alimentos que fazem sorrir – Canela