O Cravinho ou Cravo-da-índia (Syzigium aromatium), é uma árvore nativa da Indonésia. O botão seco da sua flor, é uma especiaria utilizada para fins culinários e medicinais, e parece ter algum uso tradicional como afrodisíaco, bem como para fins medicinais de distúrbios dentais, distúrbios respiratórios, dor de cabeça e dor de garganta.

Historicamente, na China, o cravinho era utilizado não só como condimento, mas também como antissético bucal antes de uma audiência com o Imperador, de forma a eliminar o “mau hálito”. Na Índia e na Pérsia, são-lhe ainda atribuídas propriedades afrodisíacas, pois parece ter propriedades que reforçam a líbido, embora sejam significativamente menores do que as comumente utilizadas. No entanto, o seu efeito não é significativamente menor que o da outra especiaria potenciadora da líbido, também já testada, a noz-moscada.

O óleo de cravinho é ainda, nos dias de hoje, utilizado em medicina dentária devido ao seu efeito analgésico, antissético e por incidir na redução da atividade de bactérias anaeróbias.

O cravinho pode também ser utilizado para uma melhor digestão, reduzindo a criação de gases gastrointestinais, promovendo o peristaltismo.

 

Mariana Salazar de Sousa, Nutricionista Jumbo

Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 3196N

 

Cravinho – a especiaria que também é “medicamento”