O kefir é uma bebida tradicional do médio oriente. Tem origem nas Montanhas Caucasus da antiga União Soviética, e o seu nome deriva de uma palavra Turca “Keyif” que significa “good feeling”. É uma bebida láctea fermentada, produzida pela ação da microflora do grão do kefir sobre os hidratos de carbono do leite. Os grãos do kefir podem ser adicionados a diferentes tipos de leite: vaca, cabra ou ovelha e a bebidas de coco, arroz ou soja, e com diferentes teores de gordura ou processamento. Apresenta as seguintes características organolépticas: branco amarelado, ligeiramente viscoso, com leve odor a produto fermentado, ligeiramente ácido, com um aroma refrescante e um toque amargo.

O kefir contém culturas de microrganismo diferentes das dos iogurtes e é um probiótico natural, o qual contém bactérias vivas, que são benéficas para a saúde.
O termo probiótico significa “microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do hospedeiro”.
Os probióticos são responsáveis pela manipulação da microbiota intestinal (microrganismos benéficos que temos nos nossos intestinos) pois aumentam o número relativo de “bactérias benéficas” impedindo a colonização por microrganismos recém ingeridos, incluindo os patogénicos.
As bactérias probióticas desempenham um papel importante na regulação intestinal e no sistema imunitário.
Os probióticos podem ser constituídos por uma única espécie ou uma mistura de diferentes microrganismos e são conhecidos por fortalecer o sistema imunológico.

O kefir melhora a digestão da lactose, devido aos microorganismos que o compõem, sendo que sintomas como a flatulência, existentes em indíviduos com intolerância à lactose, torna-se inferior comparativamente aos sintomas aquando do consumo de leite.

O kefir proveniente do leite de vaca é um derivado do leite apresentando um valor nutricional semelhante, incluindo ser fonte de cálcio (≥ 120mg/100g). Entre o kefir magro e o meio-gordo, a diferença dá-se sobretudo a nível de gordura em que no magro, ronda o 1g e no meio-gordo os 3,5g o que se traduz em mais calorias no kefir meio-gordo. Comparativamente ao leite, tanto o kefir magro, apresenta ligeiramente mais gordura que o leite magro, como o kefir meio-gordo apresenta ligeiramente mais gordura que o leite-meio gordo. Apesar disso, os benefícios associados à sua fermentação (seja uma maior tolerância à sua lactose, sejam os benefícios a nível de microorganismos intestinais benéficos – a nossa flora intestinal), tornam-no numa válida alternativa ao leite.

Equipa de nutricionistas Jumbo

Kefir: o que é e quais as suas vantagens