O pH varia entre 0 e 14 (7 – valor neutro, abaixo de 7 – ácido; e acima de 7 – alcalino/básico). O pH do sangue é ligeiramente alcalino (7,35 – 7,45). Este valor mantém-se estável porque o organismo tem mecanismos de ação que o regulam.

A alimentação tem efeito no pH do organismo?
O pH de um alimento, antes da ingestão, é diferente do efeito que esse alimento tem no organismo após a digestão. A dieta alcalinizante tem sido associada à promoção da saúde e à proteção de doenças graves como o cancro. Defende o consumo de alimentos naturais (não processados) de origem vegetal, que terão um efeito alcalinizante no organismo, em detrimento do consumo de alimentos ricos em proteína animal e açúcar com potencial acidificante. Num sentido lato, baseia-se no efeito que a alimentação pode ter no equilíbrio ácido-base do organismo. A alimentação pode influenciar o pH da urina, mas a sua influência no pH sanguíneo não é linear e não existe evidência científica que comprove os benefícios resultantes da dieta alcalinizante.

Os alimentos alcalinizantes são sobretudo frutas, vegetais, leguminosas e sementes, ricos em vitaminas, minerais e fibra e com baixo valor energético, e devem fazer parte de uma alimentação saudável. Nos alimentos acidificantes incluem-se a carne, o peixe, os ovos, os lacticínios (fontes de aminoácidos essenciais e minerais como ferro, cálcio e fósforo) e os cereais. Os refrigerantes, as bebidas alcoólicas, os doces e alimentos processados, todos eles acidificantes, têm efeitos deletérios quando a ingestão é excessiva e, esses sim, no contexto de uma alimentação saudável devem ser restringidos.

É importante fazer uma interpretação cuidada deste tipo de informação antes de alterar radicalmente os hábitos alimentares, excluindo alimentos importantes.

Diana Alexandre, Nutricionista Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 0396N.
Colaboração com Dietética e Nutrição da ESTeSL.

O pH na alimentação