Sabia que…

O pólen de abelha, muitas vezes designado como “alimento nutricionalmente completo”, é consumido por atletas de alta competição? Isto explica-se pela sua riqueza nutricional, uma vez que os grãos de pólen são as células reprodutoras masculinas das plantas, contendo por isso todos os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento das mesmas.

O pólen de abelha resulta de uma mistura de diferentes pólenes de flores, néctares e secreções salivares das abelhas, e são armazenados à entrada da colmeia pelo que podem ser facilmente colhidos pelos apicultores. A composição dos pólenes de flores depende de vários fatores (como a espécie das plantas, região, estação do ano, composição do solo, etc.), pelo que a composição nutricional também varia. No entanto, na generalidade, o pólen de abelha é rico em proteínas contendo todos os aminoácidos essenciais (os que o nosso organismo não tem capacidade de produzir). É ainda uma fonte de fibras e fornece quantidades apreciáveis de gorduras insaturadas (as chamadas “boas” gorduras – ómega 3 e 6), hidratos de carbono, vitaminas do complexo B e vitaminas antioxidantes (vitaminas C e E), minerais e compostos fenólicos e flavonóides (também eles compostos antioxidantes).

Por ser uma fonte de fibra predominantemente insolúvel contribui para a regulação do trânsito intestinal e, devido ao alto teor em vitaminas C e E, contribui para a proteção das células contra as oxidações indesejáveis.

Devido à sua riqueza nutricional, o seu consumo pode melhorar o desempenho físico e a aptidão de desportistas e pessoas idosas. No entanto, o pólen de abelha não deve substituir outros alimentos, mas sim, ser utilizado como suplemento alimentar, ou seja, como um complemento à alimentação. Especialmente em diabéticos, deve ser consumido com moderação devido às quantidades significativas de açúcares simples que possui.

Sugestões de utilização:
Os grãos de pólen têm uma textura rija e o sabor não é tão doce como o mel, podendo ser consumidos puros ou adicionados a outras preparações em qualquer refeição. Assim, poderá adicioná-los a iogurtes, frutas, cereais, saladas, sopas e papas de aveia. Poderá ainda juntá-los a batidos de fruta e/ou legumes e smoothies utilizando uma liquidificadora, ou poderá também triturá-los adicionando-os na confeção de pães e bolos.

Dica: para um pequeno-almoço mais energético, poderá fazer um batido com iogurte/leite/bebida de soja, banana, aveia, canela e juntar 1 colher de sopa de pólen, levando o preparado à liquidificadora.

Nota: as pessoas com alergia ao pólen deverão evitar o consumo deste alimento. Apesar das propriedades antialérgicas atribuídas aos grãos de pólen, existem casos reportados de alergia após a ingestão destes alimentos, bem como estudos que alertam para o perigo do seu consumo em indivíduos alérgicos ao pólen.

Renata Vicente, Nutricionista Estagiária Jumbo.
Membro Estagiário da Ordem dos Nutricionistas nº1911NE.

Pólen de Abelha: um pequeno-almoço de campeões