Na semana de lançamento do seu novo livro “Sopas com Segredos”,  Samanta McMurray explica-nos as suas estratégias para atingir o principal objetivo do seu blog Eat Love: criar uma cozinha rápida, fácil e ao mesmo tempo muito saudável. 

1. O que é para si mais importante para nos motivarmos a fazer uma dieta? E a praticar exercício físico?
Durante muitos anos pratiquei desporto mas não me alimentava convenientemente. A verdade é que uma coisa não vive sem a outra e comecei a procurar informação online. Fiquei impressionada com uns documentários bastante polémicos sobre nutrição e de certa forma despertei para esta área e passei a encarar a alimentação saudável não só como fonte de bem-estar mas também como uma questão de saúde e prevenção. A motivação nasce muitas vezes da procura de respostas em relação a problemas de saúde, mas devemos pensar que comer melhor, e não forçosamente fazer uma dieta, nos faz sentir melhor. É essa a motivação que devemos procurar. Temos de ouvir o nosso corpo e devemos fazer alterações de forma moderada porque o nosso organismo precisa de tempo para se adaptar. O objetivo não é ser magro, é ter uma performance de vida melhor, procurar o pico de forma.

2. Quando quer fazer uma surpresa aos seus amigos num jantar lá em casa, qual o seu prato favorito?
Cozinho diariamente para mim e para o meu marido, sobretudo refeições confecionadas no forno, com muitos legumes, sejam de peixe ou carne (produção biológica). Tempero com azeite e alho, ou molho de soja e limão. Quando faço jantares para muitas pessoas opto por pratos como: chili com carne, caril (que são pratos saudáveis). Normalmente as únicas queixas são a falta de sal. Não ponho sal na comida, uso sempre condimentos alternativos como as ervas aromáticas e a pimenta. Vingo-me nas sobremesas… mousse de chocolate (uso chocolates sempre com mais de 60% de cacau) e cheesecake por exemplo.

3. Pequeno-almoço no caminho? Se não tivermos tempo para tomar o pequeno-almoço, o que podemos fazer?

O meu pequeno almoço é invariavelmente papas de aveia cozidas em «leite» de origem vegetal. Compreendo que nem toda a gente goste de papas e por isso aconselho acrescentar à aveia, por exemplo, iogurte grego natural, um sumo de laranja… O pequeno almoço é essencial.

4. Sabemos que já fez um workshop «Snacks pré e pós treino».
Da sua experiência como praticante o que devemos comer antes e depois do exercício físico?

Como podemos fazer exercício a qualquer hora do dia, existem várias opções distintas: se treinar de manhã, umas papas de aveia ou um iogurte natural com mel e fruta. De evitar produtos de origem animal porque são mais difíceis de digerir. Se o treino for antes do almoço, opto por uma banana, uma tosta de arroz com doce ou frutos secos. Tâmaras com manteiga de amendoim (2 ou 3) são uma opção deliciosa. Depois do treino um batido de proteína se não for almoçar a seguir.  Se for hora do almoço aproveitar para introduzir a proteína na refeição como por exemplo o frango ou o atum acompanhado de quinoa ou batata-doce que até se podem juntar às saladas.

5. No inverno apetece comida quente… Come sempre sopa às refeições? Sugere fazer sopa para toda a semana e congelar ou tem outras alternativas?
Comemos sempre sopa a praticamente a todas as refeições. Faço muito sopas de curgete com hortelã, abóbora com couve-flor, porque aprecio as texturas suaves. Para o inverno uma boa opção é a «sopa refeição», uma base de caldo de legumes cortados aos cubinhos e depois pode-se juntar batata-doce, feijão ou quinoa e frango desfiado, por exemplo. É super saudável e económico.

6. Alguns de nós pensam que as panquecas não devem fazer parte de uma dieta equilibrada… Tem sugestões de como integrar uma boa receita de panquecas numa alimentação saudável?
Adoro panquecas e tenho imensas receitas de panquecas saudáveis. Faço farinha com a aveia (picada no moinho de café), uso linhaça, 1 ovo, mel para adoçar ou uma banana em substituição do mel, «leite» de arroz ou amêndoa e para fritar óleo de coco. Ficam simplesmente deliciosas e saudáveis.

7. É muito comum levar-se atualmente refeições para o local de trabalho onde nem sempre é possível aquecer. Tem alguma sugestão para almoços rápidos e práticos no local de trabalho?
Antes de mais devemos ter sempre fruta para ir comendo ao longo do dia. O mais prático para levar na marmita são os legumes cozidos ou salteados em azeite e uma fonte de proteína. Alternativas são por exemplo a salada de feijão-frade com atum, à qual acrescento sempre tomate e coentros, uma salada de bacalhau… As leguminosas são ótimas e pode-se fazer tudo com elas: doces, salgados, patés… Ajudam a saciar e são saudáveis. As lentilhas por exemplo têm muitos nutrientes, os ovos escalfados com ervilhas…

8. Se no intervalo da manhã ou a meio da tarde temos sempre aquele ataque de fome… O que sugere para matar a fome e adiar a próxima refeição?
Normalmente vingo-me na fruta ou nos frutos secos.

9. Como podemos convencer as crianças e os jovens a substituir snacks menos saudáveis por alternativas tão apetecíveis e mais racionais?
Criar rotinas desde pequenos é o ideal. Os gestos que repetimos persistem ao longo do tempo. Habituar as crianças aos sabores e texturas diferentes, evitar sempre o açúcar refinado. Fazer smoothies com fruta e iogurte para ficarem com textura de gelado. Brincar com os argumentos tradicionais… Umas tiras de cenoura porque «a cenoura faz os olhos bonitos». Ser criativo e transformar os alimentos em super-heróis que têm poderes sobre o nosso corpo, explicar os alimentos e os seus benefícios às crianças para os convencer.

10. O que prefere? Comer 1 peça de fruta, beber um batido da fruta ou um sumo natural?
Ouvi recentemente num filme a expressão «eat your fruit, drink your vegetables».

11. Os doces são proibidos no seu padrão alimentar?
Não, sou gulosa e como doces. O que é proibido é o açúcar branco. Substituo sempre por mel, xarope de agave, açúcar de coco…tenho muitas receitas de sobremesas sem açúcar que são ótimas. Uso cacau em pó 100% para fazer trufas de chocolate, faço gelados com fruta e iogurte… São muito calóricos mas podem ser saudáveis se formos moderados.
O metabolismo feminino é diferente e pede muito coisas doces por isso temos de ter ainda mais cuidado com as nossas opções.

12. Qual o alimento diário que não dispensa?
Definitivamente a aveia.

13. Acha que a alimentação influencia o nosso estado de espírito? O que come quando está mal humorada?
Quando estamos muitas horas sem comer normalmente ficamos com um índice glicémico baixo e isso influencia o nosso temperamento. Costumo dizer que «nunca se pode discutir com fome»…

14. Qual é a área de produtos ou produto que prefere no Jumbo?
Gosto muito da área de produtos biológicos do Jumbo do Alegro Alfragide porque tem muitas opções e está concentrado na mesma zona do hipermercado. É a minha zona e ainda por cima posso comprar avulso. No meu cesto de compras tenho sempre aveia, frutos secos e sementes, canela, compotas sem açúcar, legumes (espinafres, rúcula, tomate e cenoura). Quanto à fruta, sempre fruta da época, mas como tenho a sorte de receber fruta de uma quinta raramente compro.

A alimentação prática e muito saúdavel de Samanta McMurray